domingo, 5 de junho de 2011

Todo apooio aos bombeiros

Com estes termos o Governador do Rio classificou os bombeiros que tomaram o quartel central da corporação.
Nos questionamos porém, se é só vandalismo e irresponsabilidade, sim podemos dizer que arrombar os portões e furar os pneus dos carros foi vandalismo, porém o vandalismo aqui seria apenas a ferramenta com a qual o grupamento fez algo muito maior; a Tomada de seu Quartel, a quebra da hierarquia cega e sem questionamento.
Podemos considerar que por trás do movimento há uma manobra política de Garotinho e família, e sim Governador Cabral, isso é possível, visto a sede de recuperar o poder que este tem, porém senhor Governador nenhuma manobra política deste porte sobreviveria se as reinvidicações dos militares bombeiros não fossem consistentes, afinal quem em sã consciencia arriscaria ser preso ficar sem salário, tomar um tiro da polícia que seja, unicamente pra trazer de volta ao poder a imagem de Anthony (Clarissa) Garotinho ?
Honestamente creio ser muito pouco para os bombeiros amotinados estarem nesta situação só para reerguer esta figura (quem sabe mais prejuízo que lucro).  Concordaria com o governador Cabral neste caso; porém estamos no início do segundo mandato do atual governador, com crise na saúde, crise na educação e crise nos bombeiros. Os bombeiros conseguiram pela força levar sua causa a mídia , mas não estão nesta crise sozinhos, não foram os únicos que durante o governo Cabral tomaram bombas morais e salários imorais.
 Enquanto escolas recebem ares-condicionados alugados, pessoas ou melhor famílias estão sendo despejadas de suas residencias praticamente a força para obras olímpicas, o Maracanã está sendo posto a baixo em um gasto de dinheiro absurdo, o sistema de metrô do rio de janeiro (se é que podemos chamar isso de metrô) é uma tristeza, os moradores do bumba não tem nenhuma solução sobre suas vidas, hospitais estão em estado crítico.
Só para uma pequena degustação:
Mesmo com a ação da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, que conseguiu liminares para suspender as demolições, a pressão de agentes do poder público não cessou. Algumas casas foram marcadas com  spray de tinta e algumas famílias foram ameaçadas de não receber indenização alguma caso não acatassem logo a oferta do governo municipal. Ainda de acordo com a Justiça Global, as remoções estariam acontecendo em área reservada à habitação de interesse social (ZEIS) definida pelo Plano de Estruturação Urbana das Vargens
A SEEDUC anunciou o fechamento de 22 escolas que funcionam no horário noturno em prédios de unidades muncipais, na área da Tijuca. Desde a semana passada, a categoria tem enviado denúncias para o Sepe via email ou por telefone para denunciar a ameaça de fechamento e transferência de profissionais e professores para outras escolas. Segundo matéria publicada no Jornal Extra de 31 de maio, ao todo serão transferidas 175 turmas após o final das férias de julho. No total, são 250 escolas que o governo do estado compartilha com o município do Rio de Janeiro.
Como dito , uma pequena degustação, pois tais questões exigiriam muito mais texto desta postagem. 
Irônico vermos estes bombeiros presos em um país que até hoje mantém anistiado seus militares praticantes de crimes de guerra em nome de um estado livre do grande mal do comunismo.


Autor: Rodrigo Bertamé

Nenhum comentário: